MocaTalksAbout | Incêndios Florestais

by - 18:00

Crédito foto: Hélio Madeiras, Bombeiros Voluntários Vieira de Leiria


Portugal é um país de terra queimada e é com tristeza que o reconheço. Infelizmente, todos os anos a história repete-se. Centenas de incêndios, estradas cortadas, hectares e hectares queimados, e este não é excepção. De certa forma, este ano até está a ser pior que todos os outros! 

Ontem foi o dia com mais incêndios de todo o ano, com todos os distritos em alerta vermelho, bombeiros e meios que não chegam para acudir a todas as necessidades, populações em sobressalto, pessoas que infelizmente perderam a vida... E estamos em outubro!

Okay, eu sei que as temperaturas excessivamente altas para a época se devem ao aquecimento global e que a falta de chuva está a piorar a situação, mas sinceramente eu acho que parte desta situação podia ser evitada. Pelo menos a parte que está nas mãos do governo.

Primeiro, é preciso que se coloquem de lado os interesses económicos associados a este tipo de tragédia, porque a madeira pode ficar mais barata, mas as vidas e os bens que se perdem têm valor inestimável.
Segundo, penso que "fogo posto" deveria ser considerado terrorismo, pode não vir do Estado Islâmico, mas é um atentado contra todos nós e consequentemente a pena a cumprir deveria ser mais severa. E já agora, a defesa que pare de argumentar problemas mentais, porque eu duvido que (quase) todos sejam mesmo malucos.
Terceiro, penso que também o valor das multas aplicadas a quem não limpa os terrenos que lhe pertencem é demasiado baixo, em comparação com o valor das consequências; portanto podem sempre aumentar o valor das multas ou aplicar sanções ainda mais severas, porque primeiro acham que não é preciso limpar os terrenos e depois queixam-se que têm o fogo à porta de casa. 
Quarto, temos tantos desempregados e tantos reclusos, será que não podem também eles colaborar na limpeza e conservação das matas e florestas, nem que seja só das nacionais, que pertencem ao Estado, ou seja, a todos nós e das quais todos temos de cuidar. 
Quinto, na altura da reflorestação é necessário pensar na árvore que se vai plantar. Eucalipto cresce mais depressa, é verdade, mas também esgota mais o solo. Já o pinheiro demora mais tempo a crescer e é menos agressivo para o solo. E estes são só dois exemplos, temos ainda os carvalhos, os sobreiros, as oliveiras, etc.

Esta é a parte em que digo que, felizmente, este ano, não fui afectada directamente pelos incêndios, não vi a minha casa em perigo, nem as chamas de perto. Mas isso não quer dizer que não fique preocupada quando vejo outros a passar por isto. Ontem o Pinhal de Leiria começou a arder, algo que não acontecia desde 1916 e que eu nunca pensei ver. São quilómetros e quilómetros de uma zona rica em fauna e flora e que sempre me transmitiu uma sensação de tranquilidade face à proximidade ao mar e que agora está destruída. Faz parte da minha cidade, do meu distrito e por isso eu não consigo ficar descansada.

Portugal é um país belíssimo, um entre dezenas que constituem a Europa, e de certa forma, todos os anos, é aquele que me parece ser mais devastado pelos incêndios. Está nas nossas mãos perceber e corrigir aquilo que nos torna um alvo tão fácil para este tipo de calamidade, e impedir que passemos de um país bonito e verdejante para um deserto árido. 
-----
Estas são algumas das coisas que eu senti necessidade de deixar registadas por escrito, porque não me conformo em ver o meu país a arder. Espero não ter ofendido ninguém e que percebam que esta é apenas a opinião de uma cidadã preocupada e que está a escrever às 2:00 da manhã. Agora, gostava de saber qual é a vossa opinião? Concordam comigo ou discordam? Parcial ou completamente?
Beijinhos e até à próxima.

You May Also Like

2 comentários

  1. Infelizmente esta é uma tragédia que não para de acontecer e para ser sincera tenho algumas teorias bem tristes acerca do que aconteceu. É tão triste que estejamos a deixar o nosso património arder...

    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar
  2. O meu coração ficou tão apertado depois de ler este teu texto!

    Beijinhos,
    Inês
    http://www.indiglitz.pt

    ResponderEliminar