7 de setembro de 2016

Back to School | A minha experiência com... Praxe Académica de Coimbra

Olá e sejam bem-vindos a mais um post da série de regresso às aulas, onde (quase) todos os dias há conteúdo novo a partir das 15h. Hoje vou falar-vos da minha experiência com a praxe de Coimbra.

No dia 21 de setembro de 2015 o meu percurso académico na cidade dos estudantes começou, e com ele veio a praxe. Antes de continuar, quero apenas esclarecer que eu não tinha a mais pequena ideia do que esperar, porque não queria sofrer por antecipação. Assim, este foi o meu primeiro dia como estudante universitária e como besta. 

Desde este primeiro dia até ao dia do batismo foi um salto e quando reparei já estava a matar a besta e a ascender a bobum, que foi o meu estatuto hierárquico na praxe até à Serenata Monumental, onde ascendi a Legionarium.

Dia do Batismo || Praxe do Pijama enquanto apresentava o Killian Hood Mikaelson Salvatore (o urso) aos doutores


Vocês não sabem, mas na frase que constitui o parágrafo anterior estão contidos os melhores momentos do meu primeiro ano académico. Fiquei de quatro até não poder mais (e olhem que nem sabia o que isso era), fiz flexões e pulos de galo até me doerem os braços e as pernas tremerem. Aprendi pontos, hakas, saudações e despedidas, que gritei até me falhar a voz. Levei com comida e sabe-se lá mais o quê em cima e rebolei na lama. Cantei, dancei, fiz teatros e figuras ridículas, mas caloiro pode tudo, não é verdade? Não, por acaso não é verdade, porque caloiro não ri.

E, não é necessário ter medo de dizer que não se quer fazer alguma coisa, porque, pela experiência que tive, só fazemos o que nos mandam até ao ponto em que nos sentimos confortáveis e não é preciso ter medo de dizer que não nos sentimos bem em fazer isto ou aquilo, porque todos temos o nosso limite e quem nos está a praxar compreende isso.

Apresento-vos a minha madrinha Dami:  No dia da Latada || Na última praxe || Na praxe do pijama || Na noite da Serenata Monumental


Em Coimbra, há praxe todo o ano e eu tinha praticamente todos os dias, salvo dias de chuva ou por indisponibilidade dos doutores. E, apesar de haverem dias em que não me apetecia nada ir para lá, ia sempre e acabava por me divertir. Afinal de contas, estávamos todos na mesma situação, rumo ao mesmo objectivo, e acho que foi esta conjuntura que nos uniu enquanto grupo e criou o espírito de entre-ajuda que mantivemos até ao fim do ano, e que eu espero que se mantenha até ao fim do curso.

Apresento-vos os meus colegas de curso! No dia da praxe de Halloween do Concilium Praxis || Na praxe do pijama || O grupo todo trajado


Esta foi a experiência mais rica que já vivi e não me arrependo nada de ter feito parte desta tradição. Graças a ela conheci melhor os meus colegas de curso e orgulho-me de dizer que a maioria considero como sendo amigo (e não é assim tão fácil chegar a esse nível de confiança comigo). Quero terminar agradecendo aos meus doutores por terem sido os melhores do mundo e aos meus colegas por fazerem parte desta fase da minha vida e por me terem deixado mostrar-vos estas fotos. Sem vocês não teria sido a mesma coisa. Uma vez Farmácia, para sempre Farmácia!

Espero que tenham gostado. Se acharem que faltou falar sobre alguma coisa, digam-me nos comentários que eu respondo lá.
Beijinhos e até à próxima.

6 comentários:

  1. Também estudo em Coimbra, mas na Faculdade de Farmácia da UC e posso-te dizer que os momentos que vivi nas poucas praxes que tive foram dos melhores!! Fazemos coisas tão parvas e tão sem nexo por vezes que ganham tanto significado!
    Beijinhos,

    A Maiazita
    Back To School Giveaway

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi por isso que decidi escrever como tinha sido para mim, para desmistificar um pouco o que se passa na praxe.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Também estudo em Coimbra e concordo contigo em tudo! Ser-se caloiro é das melhores coisas. A praxe é uma boa experiência, sem dúvida nenhuma.

    Marli, do My Own Anatomy ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi exatamente isso que eu quis transmitir e fico feliz por existir muito mais gente a concordar comigo.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Ai, saudades das praxes! É mesmo das melhores partes da vida académica :)

    Beijinhos, xx
    My Little Corner

    ResponderEliminar